Publicações recentes

Publicações recentes:

28 setembro 2007

Empresa portuguesa lança marca de calçado de luxo

A Zarco, empresa de calçado portuguesa detentora da marca MackJames (MJ), lança em novembro uma nova marca masculina de luxo dirigida ao mercado internacional, a Carlos Santos, nome do atual proprietário da empresa de S. João da Madeira.

Segundo Carlos Santos, contrariando a tendência do setor, desta vez a empresa decidiu arriscar sem medo num nome 100 por cento nacional para lançar um produto que chegará ao mercado a um preço médio em torno dos 500/600 euros.

O empresário falava aos jornalistas que «o sapato Carlos Santos não será um simples sapato, será uma jóia, um grande desafio», explicou o responsável, referindo que todos os modelos desta marca de alto luxo - que será lançada em Paris em novembro e chegará aos mercados em fevereiro - serão exclusivos e registrados.

O segmento de luxo masculino é já há 25 anos uma aposta da Zarco, com a MJ - marca inspirada num modelo de fabricação inglesa que aposta na qualidade dos materiais e na concepção quase manual do sapato - que é vendido ao público a um preço médio de 250/300 euros.

A MJ, de acordo com Armando Santos, filho de Carlos Santos e administrador da Zarco, tem sido um enorme sucesso na França (responsável por 65 por cento das vendas da marca), mas também nos EUA, Japão e Alemanha.

Além disso, a MJ, apostando conquistar os mercados de luxo internacionais, abriu em junho a sua primeira loja própria em Bruxelas, na Bélgica, preparando-se já para uma nova abertura naquele país, em data ainda a ser anunciada.

A empresa vende aproximadamente 70 mil pares de sapatos MJ ao ano, tendo faturado seis milhões de euros em 2006, dos quais o mercado português é responsável por apenas 7 por cento.

"O mercado nacional não tem dinheiro para comprar estes sapatos", reconheceu o empresário, justificando o fato de Portugal não ser um mercado prioritário de venda da marca masculina de calçado.

Na fábrica de S. João da Madeira trabalham cerca de 60 pessoas que asseguram a confecção da marca própria - muito exigente em termos de produção, já que grande parte da confecção é manual - mas também a produção 'private label' [marca do cliente].

Questionado sobre os objetivos comerciais da nova marca da empresa, Carlos Santos explicou que a quantidade não é importante na estratégia de lançamento da nova marca.

"O importante para nós é o desafio de lançar uma nova marca de luxo na Europa e conquistar prestígio e notoriedade, que darão continuidade à nossa empresa e aos nossos projetos", concluiu.

Fonte: Diário Digital / Lusa (Portugal)

Nenhum comentário: