Publicações recentes

Publicações recentes:

28 setembro 2007

Alpargatas adquire Dupé

A Alpargatas, que fabrica as sandálias Havaianas, ofereceu R$ 49,5 milhões pela marca concorrente Dupé, produzida pela Companhia Brasileira de Sandálias (CBS). A partir de 1997, a marca pernambucana multiplicou o seu negócio em dez vezes e passou a incomodar a líder. "Há cerca de cinco anos, a Alpargatas vinha tentando comprar a Dupé", conta Rogério Lessa, sócio da Demarest e Almeida Advogados, escritório que intermediou as negociações. O curioso é que a Dupé iniciou seu negócio sendo um fabricante terceirizado de Havaianas para a Alpargatas.

A operação foi concretizada em um momento em que a controladora da marca Dupé, o grupo Tavares de Melo, está se desfazendo de vários ativos e redirecionando o foco do negócio. No início do ano, o Tavares Melo vendeu cinco usinas de açúcar e álcool por R$ 1 bilhão, segundo estimativas do mercado.

"O setor de calçados não era muito o nosso perfil, era praticamente um desafio, por isso optamos por vender", disse Romildo Tavares de Melo, diretor-presidente da CBS. Com a saída das áreas de calçados e sucro-alcooleiro, o Grupo Tavares ficou com empresas de embalagens e combustível.

Com um caixa disponível de R$ 300 milhões para investimentos em aquisições e capital de giro, Márcio Utsch, diretor-presidente da Alpargatas, confirma que vinha analisando a Dupé há algum tempo. "Vamos dar um importante passo na nossa estratégia de crescimento", afirma o executivo. Em várias cidades do Nordeste, a Dupé detinha quase 30% do market share de chinelos e sandálias. No Brasil, a participação da Dupé no segmento de chinelos é de 6% e em sandálias, 2%. A Havaianas possui entre 10% e 12% do market share de sandálias e 42% do segmento de chinelos. Do faturamento de R$ 1,5 bilhão em 2006, cerca de 45% vem das vendas das Havaianas.

O negócio só deve ser finalizado em 31 de outubro, quando termina o período de due diligence. Além disso, a conclusão do processo também depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). "Já fizemos nossas análises e não haverá problemas de concentração de mercado. O segmento é pulverizado. As três maiores marcas de sandálias e chinelos - Havaianas, Ipanema (Grendene) e Dupé - têm 18% do mercado" , diz Utsch.

Outro grande negócio que a Alpargatas está prestes a fechar é a compra de 31,4% da Alpargatas Argentina, que detém as marcas Topper (calçados), Alpargatas Têxtil, Pampero, Rueda, Media Naranja, Palette e Horizons (têxtil).

Fonte: Valor Econômico - 24/09

Nenhum comentário: